Coopervitae

História

A história da Coopervitae se inicia na década de 70 quando o Pároco da cidade de Nova Resende o Pe. José Luís Gonzaga começa um trabalho de incentivo a pratica da agricultura e medicina alternativa, juntamente com ais irmãzinhas religiosas, em especial a irmã Julia, nesta época eram feitas varias reuniões com pessoas das comunidades rurais do município que acreditavam no movimento. A partir dai começa a surgir questionamentos entre o grupo sobre o uso de agroquímicos na agricultura, o movimento começando a ganhar força na década de 80 com o apoio de associações rurais, citando um exemplo à associação de pequenos produtores do bairro Caetés.

Muitos cursos profissionalizantes começam a ser feitos pelos produtores com apoio do Sindicato dos Produtores Rurais local, que a partir de 1997 em convênio com o SENAR/MG (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Estado de Minas Gerais), como exemplo o curso de minhocultura, terreiro, Manejo de pragas e doenças, agricultura orgânica e etc…

Em 1998, o Governo de Minas em parceria com varias instituições e Ministério do Trabalho, cria o programa MINAS COOPERATIVA – GERACOOP, que tinha como objetivo “juntos pelo cooperativismo, gerando desenvolvimento em Minas Gerais”, em convenio com a Escola Agrotécnica Federal de Machado, promovia a possibilidade de pequenos agricultores familiares pudessem ter força e representatividade, desde que unidos e organizados em associações ou cooperativas, onde apoiados pelo GERACOOP os produtores de Nova Resende puderam visitar uma associação de agricultura orgânica de Poço Fundo, onde nessa visita os produtores de Nova Resende percebem que havia uma necessidade de criar uma associação para fortalecimento do grupo. No dia 25 de novembro de 1998 no salão paroquial de Nova Resende foi feita uma reunião com a presença de 28 produtores para deliberarem a respeito da criação de uma associação, surgindo assim a AGRONOR – Associação dos agricultores orgânicos de Nova Resende e Região.

Em 1999 foi solicitada a AAO (Associação da Agricultura Orgânica) para dar inicio a certificação orgânica, quando em 2001 é feita a primeira comercialização de café orgânica, mas muito se debatia sobre as dificuldades em comercializar via associação, diante destes questionamentos surge a ideia de criar uma cooperativa, surgindo assim em julho de 2001 a Coopervitae (Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos de Nova Resende e Região LTDA), com a finalidade de disciplinar a produção, viabilizar a certificação e a comercialização em grupo. Com as mesmas concepções e objetivos, outros grupos de produtores de outros municípios começam a se afiliar a cooperativa para unir forças, tais como: Conceição da Aparecida, Juruaia, São Pedro da União, Jacuí. Araponga, Ervália e Viçosa.

Em 2002 a Coopervitae solicita a BCS-OKO GARANTIE a certificação orgânica para o mercado exterior.

Em 2006 a Coopervitae se certifica como Fair Trade (comércio justo), certificação criada exclusivamente para a agricultura familiar que respeita seus critérios. Hoje a Coopervitae possui 377 cooperados, sendo 18 produtores certificados orgânicos e 259 certificados Fair Trade, totalizando uma área de 1.600 há de café, exportando café de excelente qualidade para os Estados Unidos e Itália.


Veja também:

DoDesign-s Design & Marketing